"Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe por provar o contrário" Albert Einstein

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Pessoas fechadas e abertas


Sei o risco que um tipo de afirmação radical como essa pode suscitar, mas tenho certeza de que o mundo se divide apenas entre dois tipos de pessoas: fechadas e abertas.
O termo pode dar margem a várias interpretações, por isso é bom explicar que trata-se aqui de uma interpretação bem específica. Os adjetivos que diferenciam as pessoas fechadas das abertas dizem respeito ao estado do coração de cada um de nós.
Para tornar as coisas mais didáticas, vamos usar um exemplo do dia-a-dia. Pagar uma conta no banco, por exemplo.
Digamos que um cara está na fila esperando para ser atendido pelo caixa. De repente, entra pela porta (giratória) uma mulher bastante interessante e vestida de maneira provocante. Ela se posiciona na fila logo atrás do nosso exemplo. É aí que descobrimos a diferença entre pessoas fechadas e abertas.
Se esse homem fosse uma pessoa aberta, cederia seu lugar à bela mulher em um gesto de educação. Ela daria um sorriso e, se também fosse uma pessoa aberta, poderia agradecer puxando uma conversa. “Fila de banco é chato, não?”, diria a mulher. “Nem me fale. Mas agora que você chegou eu não me incomodaria de passar o dia inteiro aqui”, poderia responder o cara.
Não sabemos o que aconteceria a partir daí, mas você entendeu. Vejamos agora o mesmo caso se as duas pessoas fossem fechadas:
A mulher entra pela porta giratória. O cara está com pressa e nem pensa em ceder o lugar. Ela entra na fila atrás dele. Ele dá um sorrisinho amarelo; ela responde com um sorriso da mesma cor. Ele paga as contas e vai embora. Ela paga as contas e vai embora.
Pessoas abertas são solteiras, obviamente, e pessoas fechadas estão comprometidas – casadas, noivas, namoradas, sei lá. Mas por que chamá-las, então, de fechadas ou abertas, em vez de usar os termos mais comuns? Porque, ao contrário do que se possa imaginar, também há casos de pessoas casadas abertas e pessoas solteiras fechadas.
O estado de espírito é mais importante que o estado civil. Depende da predisposição de cada um para conhecer alguém novo; depende da vontade de virar ou escrever uma nova página de vida. Claro que não há, aqui, juízo de valor: uma pessoa aberta não é melhor que uma fechada, nem vice-versa. O que importa, mesmo, é ser verdadeiro em relação ao seu coração. Esteja ele aberto ou fechado.

Felipe Machado - Estadão
http://blogs.estadao.com.br/felipe-machado/pessoas-fechadas-e-abertas/

Nenhum comentário:

Postar um comentário